Pastelão com Recheio de Talento

Crítica de "O Pastelão e a Torta" da Cia Folgazões de Vitória (ES)

A rua é muito democrática, mas impõe seus desejos e suas particularidades. O esforçado Grupo Folgazões faz um espetáculo dinâmico, divertido, charmoso e cheio de talentos, seja na interpretação do ótimo Duilio Kuster, seja no figurino e cenário de extremo bom gosto, funcionabilidade e criatividade, mas como dessas coisas que só acontecem na rua, o espetáculo acaba ficando a desejar, não chegando a emocionar, acaba ficando parado no limbo da história bem contada, bem armada e bem feita, no bojo do bom teatro. Engraçado que tudo no espetáculo é bem feito, bem alinhado e criativo. Se arriscar indicar algum caminho, ousadia minha a um grupo capixaba tão coeso e tradicional, diria que agora que já tem a técnica perfeita, podia investir na emoção, no olho no olho do espectador, na força dramatica, no escracho comico, e até ousar mais, em que? Não sei.Mas falta nessa montagem tão correta, um pouco mais de teatro de rua. O que vêm a ser isso? Que a rua lhes respondam. (Texto de Valter Vanir Coelho, Professor de Artes Cênicas)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Marcela Temer Nua

Romulo Arantes Neto se masturbando no MSN

Você sabia que Renato Russo e Geddel (o homem das malas de dinheiro) eram inimigos de juventude? Saiba o porquê.